(início)   (sobre nós)   (guiões)   (cibercursos)   (dicionários)   (FAQ)   (equipa)   (contactos)   (acesso)
ACESSO PESSOAL



Take a look at our new courses here

Bookmark and Share

GUIÃO DE AULA

(descarregar PDF)

Ano: 6.º

Lenda e fábula

Principal competência visada: compreensão oral

Objetivo(s):
• Saber distinguir lenda de fábula.
• Saber ler e escutar para reter informação essencial.
• Apreender o sentido de texto.

Passo 1. Leitura das entradas de lenda e de fábula do Dicionário de Narratologia, de Carlos Reis e Ana Cristina Macário Lopes. (Anexo 1)

Passo 2. Identificação das características da fábula e da lenda.
Aceder ao exercício Será a lenda ou a fábula?
Resolução do exercício.

Passo 3. Audição da lenda «O leão e o mosquito», de Jean de La Fontaine.
Aceder ao áudio do exercício O leão e o mosquito.

Passo 4. Breve questionário oral para verificar a compreensão global da fábula.

Passo 5. Leitura das afirmações apresentadas no exercício O leão e o mosquito e resolução do exercício.

ANEXO: 1.

LENDA

1. No campo da literatura tradicional de transmissão oral, lenda designa uma narrativa em que um facto histórico aparece transfigurado pela imaginação popular: não se trata, pois, de uma reconstituição objetiva e "documental" de um facto ocorrido num passado remoto, mas sim de uma narrativa de caráter ficcional, que foi sendo transmitida de geração em geração. A ação aparece normalmente localizada no espaço e/ou no tempo (ao contrário dos contos, situados num passado indefinido e num espaço indeterminado), e a história contada é sempre modelada pelo maravilhoso: as lendas de mouras encantadas, os milagres de santos ou a lenda cristã do milagre de Nazaré ilustram bem este tipo de narrativa.(...)

2. Por vezes, aparecem classificadas como lendas narrativas que se propõem explicar a origem ou a razão de um fenómeno ou de um facto geográfico (...).

FÁBULA

1. Enquanto género narrativo com antecedentes culturais próprios e funções específicas, o conceito de fábula tem em vista os efeitos fundamentais da ação.

2. A fábula designa um relato quase sempre breve, de ação relativamente tensa, mas não muito sinuosa, interpretada por personagens não excessivamente complexas (personagens que são muitas vezes animais irracionais), apontando para uma conclusão de dimensão ético-moral. Talvez mais do que qualquer outro género, a fábula existe em função do intuito claro de moralizar.

Reis, Carlos; Macário Lopes, Ana Cristina, Dicionário de Narratologia